0
julho 7, 2015 Posted by GTA in Notícias da Rede GTA

Oficina de artesanato do Grupo de Trabalho do Conhecimento Tradicional

A oficina de artesanato do Grupo de Trabalho do Conhecimento Tradicional (GTCT) ocorreu nos dias 2, 3 e 4 de julho de 2015 na Comunidade do Livramento.

Essa oficina foi muito importante para o grupo do Conhecimento Tradicional, que assumiu desde sua organização na sugestão de uma data possível, escolha do lugar, organização das compras de alimentação e materiais necessários fornecidos pelo projeto até a realização da oficina, definindo as equipes de trabalho para café, almoço, jantar e limpeza. A Juventude colaborou no registro fotográfico da oficina, usando a máquina fotográfica do projeto. Todos participaram da oficina e fizeram belos trabalhos durante os dias de oficina.

A Dona Maria, moradora do Bailique na Comunidade de São João Batista, artesã da região e famosa pelos produtos que ela cria com a biodiversidade local foi a oficineira desse grande encontro.

Compareceram na oficina cerca de 40 pessoas entre parteiras, benzedeiras, jovens e crianças que aprenderam diversas técnicas de artesanato para fazer chapéu de tururi, colares, brincos, pulseiras, anéis. Vale reforçar que a presença da juventude nessa oficina foi bem representativa demonstrando o interesse deles nessas atividades de artesanato.

Os recursos naturais usados para compor as peças foram tirados na natureza da região como palha de tururi, palha de buriti, casca de coco, sementes, bambu e outros elementos da biodiversidade e a Dona Maria ensinou como trabalhar esse material para poder produzir as peças.

O primeiro dia foi para fazer o processo para deixar o tururi endurecido e no formato de um chapéu e enquanto secava a Dona Maria ensinou a fazer flores com o tururi, tranças com a palha do buriti e como usar as sementes para enfeitar o chapéu de tururi.

Ainda na programação da oficina, após o jantar assistimos o documentário do GTA sobre a metodologia do Protocolo Comunitário do Bailique, onde as participantes se reconheceram mais dentro do processo do Protocolo Comunitário, e o documentário “As Fulôs do Sertão”, que traziam exemplos das mulheres da caatinga que fazem seus artesanatos, doces e outras artes para trabalhar o desenvolvimento local e melhorar a qualidade de vida da região. Esse documentário estimulou as mulheres do GTCT a fortalecer o grupo, trabalhar em produtos para trazer recurso para o grupo.

No segundo e terceiro dia foi trabalhado o tratamento da casca do coco, da semente de tucumã, semente de anajá e outros para fazer as peças e a Dona Maria explicou como lixar, cortar e transformar a matéria prima para fazer os colares, brincos, anel e pulseiras.

Para finalizar a oficina foram definidos os encaminhamentos do GTCT, onde elas decidiram arrecadar fundos nas próximas festas do Bailique vendendo as peças produzidas para comprar material para o GTCT e continuar trazendo oficinas para o grupo.

0.0/60votes
Voting statistics:
RatePercentageVotes
60%0
50%0
40%0
30%0
20%0
10%0
Click to share thisClick to share this